Novos hábitos e uma nova rotina

Tempo de leitura: 4 minutos

Curaçao, 30 de Julho de 2016.

 

Essa semana completamos o primeiro mês a bordo do Itacarė. O tempo passou tão rápido quanto costumava passar na nossa antiga vida em São Paulo.

Um dia por vez fomos nos adaptando a um novo estilo de vida, assimilando novos hábitos e construindo uma nova rotina. Entre manutenções diarias, caminhadas, remadas, filmes, provisionamentos e muita dor no corpo.. os dias voaram.

PS: por falar em dor no corpo, …no último post falei que minha lombar conversava comigo em SP… pois éhh.. aqui ela grita comigo!

Nossa nova casa já esta funcionando perfeitamente e todos já estão muito a vontade a bordo, realmente podemos dizer que nossa adaptação no barco já esta concluida.

A escolha por Curaçao bem como começarmos a partir de uma marina se mostrou acertada e muito ajudou neste início. O conforto do pier, a fartura da água, a variedade e qualidade das lojas e a facilidade nas idas e vindas para provisionamento do barco são pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

Além disso – e talvez o mais importante – poder focar na casa e na familia sem ter que se preocupar com o mar, com a ancoragem ou mesmo com segurança também tem sido chave. Poder estar seguramente amarrado em um pier tem sido um luxo que valeu cada centavo neste começo.

Mas não ache você que tudo são flores. Se por um lado tudo correu bem, por outro temos dois grandes desafios a frente – e vez ou outra perco o sono pensando neles.

O primeiro, é enquadrar nosso orçamento pois gastamos neste primeiro mês o equivalente a quase 4 meses do que haviamos previsto. Temos olhado linha a linha da nossa planilha e buscado encontrar a esperança e o ajuste necessário para termos meses melhores.

Mas há esperanca…

Neste primeiro mês tivemos muito gasto com provisionamentos/setup inicial do barco que não devem se repetir. A marina tambem é um custo pesado que acaba este mês (vai dar saudade!). Passamos também a fazer todas as refeições no barco pois restaurante também foi um grande vilão (lembra da gincana do gás?!).

E até a água potavel paramos de comprar pois é um custo danado mensal e passamos a beber agua do dessalinizador (recolhemos ela antes de cair no tanque) ou da marina (adaptamos um filtro pra encher nossas garrafas).

Me acostumei neste ultimos 23 anos a ver o salário pingar todo fim de mês… e por consequencia nunca fui de olhar preço de coisa no mercado, mas agora a realidade é outra e me vejo comparando preço de pasta de dente e optando por carne de frango ao inves da velha picanha. Éhh rapaz… cada escolha uma renúncia – faz parte.

A segunda preocupação tem a ver com meu baixo conhecimento técnico. Caramba!! …quanta coisa tenho a aprender sobre mecânica, elétrica e manutenção em geral! …mas eu não desanimo não, to partindo pra briga!

Tenho me aventurado diariamente pelos cantos do barco e todo dia quebro a cabeça para resolver os problemas que vem surgindo. Já virei amigo da fiação elétrica, da tubulacao do gas, das bombas de porão, das velas, dos cabos, do freezer, e por ai vai. E se ate agora o barco ta boiando e nada explodiu.. estamos no lucro.

Outro dia me aventurei pelo dessalinizador buscando entender o porque dele ter parado de fazer água.

Desmontamos quase o barco todo para seguir a tubulação e entender como funciona o sistema e acabamos resolvendo o problema.

Nessa hora, vale muito também a ajuda dos novos amigos do mar – recentemente chegaram dois barcos brasileiros aqui na marina – o veleiro Gentileza e o Arthi – e entre churrascos e cervejas fui aprendendo muito com as várias dicas dos amigos mais experientes – obrigado Paulo e Germano!!

Veio deles a explicação de como funciona o dessalinizador e bem como a dica de como fazermos um desvio na água para podermos beber.

Como nosso orçamento é apertado, cada simples solução que pudermos encontrar que signifique economia representa uma grande vitória.

Por fim, antes de finalizar… a boa noticia do mes é que nosso painel solar é um espetáculo e tem conseguido manter muito bem nossas baterias em dias normais de consumo. Só não somos autosuficientes de energia pois o dessalinizador quando ligado esfola as baterias.

Em breve falaremos sobre nossa rota… acompanhem!

Turistando pelo centro de Curaçao

Fazendo água potável com nosso filtro improvisado.. uma bela economia mensal.

Essa aqui é para os amigos de São Paulo 🙂

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.