Bem vindo a bordo

Tempo de leitura: 3 minutos

Bahamas, 10 de Abril de 2017.

Caramba, como vamos fazer com dinheiro quando recebemos amados amigos a bordo ?! Essa questão martelou nossa cabeça dias e dias seguidos.

Já não é novidade para ninguém que nós nos adaptamos, e muito bem, a essa vida no mar.

Estamos muito felizes em viver esse sonho de velejar e conhecer lugares e pessoas diferentes e nosso plano é seguir adiante neste estilo de vida pelos próximos anos. A única coisa que sentimos falta, de verdade, é da família e dos amigos. Ficamos muito felizes quando recebemos uma mensagem, uma ligação e principalmente uma visita.

As visitas quando chegam o Itacaré sorri, a rotina muda e a vida a bordo ganha cara de férias ! …apesar de muitos acharem que vivemos de férias todos os dias do ano.

Quando os amados chegam as aulas são suspensas, a regra para bebidas alcoólicas muda (tudo liberado!), testamos novos drinks, elaboramos o cardápio, tiramos a poeira do violão, descemos o caiaque, o paddle, o kneeboarding, a bóia.. todos os brinquedinhos do Itacaré saem do porão. É uma festa que aquece nossos corações, nos enche de amor e ficamos sempre com as recordações guardadas pra sempre.

Já recebemos amigos amados em Curacao, Turks & Caicos e nas Bahamas… e vários outros encontros estão por vir. Mas é sempre nesta hora que o assunto de dinheiro surge.

“Como vocês fazem com o dinheiro? …não queremos atrapalhar.”, nos perguntam.

Essa é sempre uma conversa muito difícil pra gente e ficamos sempre entre a cruz e a espada. Por um lado queremos todos aqui conosco, por outro temos que fazer nosso orçamento funcionar… senão nosso sonho naufraga. Adoraríamos poder bancar o povo todo aqui… mas não dá..

Todos sabem que deixamos nossos empregos pra traz e vivemos hoje do dinheiro apertado que juntamos para viver este sonho e portanto temos um orçamento mensal enxuto na ponta do lápis.

No início ficamos sem ter muita noção de quanto custa receber uma visita. A vida a bordo envolve vários custos como comida, bebida que dão pra fazer a conta por pessoa, mas tem também vários outros que acontecem ao longo do mês e que passam despercebidos para a maioria como gasolina, diesel, lavanderia, o gás, limpeza do barco, provisionamentos, deslocamentos, assim vai.

E aí, o que deveríamos responder para nossas visitas?

Depois de um tempo chegamos a um valor que ao mesmo tempo nos ajudou a rachar as despesas do barco e que também não ficou pesado para quem veio nos visitar: U$ 100 dólares/dia por adulto. E neste valor não cobramos as crianças e ficou incluso toda a hospedagem considerando também a comida, bebida e passeios. All inclusive !! 🙂

Deu tudo certo. Bom pra todos.

Pra gente, aqueceu os corações e ajudou a rachar as despesas (ótimo!) … e para os nossos amados se tornou uma experiência única poder viver um pouco desta vida do mar.

E foi legal também pois deste jeito foi fácil para eles calcularem o gasto total das suas viagens – afinal quase todas as nossas refeições são sempre a bordo e também o nosso lazer está em torno da vida náutica – ficando de fora somente a passagem aérea, o translado até o barco e uma ou outra pequena despesa a mais.

Enfim… é isso amigos.

Gostamos tanto que queremos repetir… e quem sabe desse jeito vamos alongando nosso sonho até chegarmos a Australia!!! …logo se voce estiver animado em conhecer a vida a bordo, seja super bem vindo!!

Até!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.