Pequenas coisas, grandes prazeres

Tempo de leitura: 5 minutos

Curaçao, 21 de Agosto de 2016.

 

Essa semana foi muito dura, quente e seca. Levamos nossa casa para o estaleiro para uma longa semana de manutenções preventivas e pintura do fundo. Entre dias de sol e muito sol, pingamos suor no duro concreto da Curaçao Marine.

A boa notícia é que nada de grave encontramos no nosso barco. Demos uma geral no motor, trocamos ânodos, óleo e selo da rabeta, revisamos a mastreação, revisamos o leme – matamos a pequena folga que ele tinha, e aproveitamos também para dar uma embelezada no Itacaré pintando o fundo e polindo o costado. Ficou xuxu beleza.

O curioso é que depois que você acostuma com a vida a bordo pequenos hábitos você incorpora no dia a dia e você só percebe a importância deles quando fica sem eles.

Acostumamos com mergulho no mar várias vezes ao dia para quebrar o calor, acostumamos também com o por do sol avermelhado todos os dias, acostumamos com vento constante refrescante, e virou hábito também (um dos meus preferidos) fazer o xixi noturno no mar namorando o céu estrelado. São todos pequenos e valiosos prazeres que a gente curte e incorpora ao dia a dia.

Mas essa foi uma semana de privações e tudo passou a ser mais notado por consequência mais valorizado. O xixi noturno no luar foi substituído por um xixi na garrafa fedorenta. O mergulho no mar, trocado por banhos no banheiro sujo da Marina, …o balanço gostoso do barco e vento refrescante foi trocado por um chão seco de concreto, e o calor soberano fez o suar pingar por horas seguidas.

Com o barco fora da água o banheiro não pode ser utilizado e mesmo a pia da cozinha funcionou à base de baldes de água. A vida que vinha bem organizada e confortável deu uma boa bagunçada.

Até o diabo das moscas deram as caras, fazia meses que não víamos uma. E pra piorar no meio da semana quando estávamos arrumando a louça do café da manhã brotou da nossa lixeira larvas da bichana…. E lá fomos nós pingar suor em um corre corre danado pra limpar tudo antes que elas se espalhassem.

A sorte é que os dias passaram rápido e ao piscarmos o olho suado veio uma boa notícia pela internet. Recebemos do gerente da marina que estávamos (thank you Robert!!) uma cortesia por ter ficado 3 meses por lá e ganhamos uma diária no hotel de luxo deles – Santa Barbara Resort (bate no Google aí). Espetáculo!

Escrevo estas palavras justamente daqui… Sentado na mesa do café da manhã, no ar condicionado, vez ou outra visitando a mesa do buffet abarrotada de comida.

Você que está nos lendo aí no conforto da sua casa talvez não se dê conta da quantidade de luxos, confortos e prazeres que envolve a vida urbana – afinal o dia a dia já virou hábito a séculos e é normal os pequenos prazeres da vida passarem despercebidos.

Mas para quem mora a bordo a vida fica diferente, e os pequenos detalhes e pequenos prazeres são muito degustados e valorizados… Principalmente depois da semana que tivemos.

Ao chegarmos ontem à tarde aqui nesse mega hotel… Adivinha qual foi a primeira coisa que todos queriam fazer ?!

…pois é, não foi ir para praia, para piscina, andar de bicicleta ou ir para as quadras de esporte.

O tão esperado momento foi tomar um longo banho gelado, deitar na banheira, e depois sossegar na cama grande e gelada com ar condicionado no máximo. Espetáculo de momento.

Ficamos assim por horas. A noite nunca foi tão bem dormida enrolado no edredom cercado de travesseiros… fazia mais de dois meses que não nos enrolávamos em nada para dormir.

Hoje pela manhã os pequenos prazeres continuaram e o orgasmo máximo veio a pouco quando dei alguns passos no chão gelado e caminhei até o banheiro do quarto sem suar para fazer com calma o número 2. Pude olhar todas as notícias na internet como acostumei a fazer quando morava na cidade… Sem pressa. Momento sagrado.

A vida a bordo envolve vários aprendizados e o maior que tivemos até o momento talvez seja justamente este: a dar valor às pequenas coisas do dia a dia, um dia por vez.

Para finalizar, ontem à noite quando caminhávamos indo para o restaurante uma grande lua cheia nos banhou. Falei para os moleques fazerem um pedido… mas o Zé Cuca emendou de primeira: “…não precisa pai. Lembra que meses atrás sempre que fazíamos um pedido, pedíamos para estar aqui?! …pois então,. hoje estamos aqui… legal, né?!”, moleque danado.

Ele tem razão, estamos vivendo nosso sonho.

Nosso barco deve ir pra água amanhã e tudo correndo bem o próximo post escreveremos de Bonaire, nosso próximo destino.

Até a próxima!

 

Nossos dois lemes tinham pequena folga. Tiramos eles, e colocamos buchas novas.. eliminando a folga. Pequeno problema hoje que no futuro poderia se tornar um grande problema.

 

Nossa equipe animada entrando no elevador do hotel. “Esse aqui é hotel de rico, não é pai?!”, diziam eles.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.